quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Eu empresto meus sapatos...

Confesso que hoje estou sem assunto, a expectativa de final de ano  sempre mexe com as pessoas e comigo não é diferente. É como fazer um balanço geral do ano, e eu fico pensando a quem pode interessar minhas perdas e danos, meus acertos e erros, por que, acertando ou errando quem vai pagar a conta sou eu. Por que o julgamento alheio e o nosso próprio ( que é bem terrível ), importa tanto ?
Coisa mais idiota ficar se policiando se aproveitou todas as chances,  se dispensou o que era certo, se fez tudo errado... Tão cansativo... doentio. Eu li outro dia na Internet (e não consegui saber o autor do texto, se alguém puder me ajudar, eu agradeço), algo  mais ou menos assim

" Antes de julgar a minha vida ou o meu caráter... calce os meus sapatos e percorra o caminho que eu percorri, viva as minhas tristezas, as minhas dúvidas e as minhas alegrias. Percorra os anos que eu percorri, tropece onde eu tropecei e levante-se assim como eu fiz. E então, só aí poderá me  julgar.   Cada um tem a sua própria história. Não compare a sua vida com a dos outros. Você não sabe como foi o caminho que eles tiveram que trilhar na vida.
Eu sei quem sou, eu sei o que superei, e me sinto orgulhosa de cada passo dado, de cada aprendizado obtido com meus erros. Ninguém, a não ser eu, tem o direito de me julgar, porque somente eu sei o que sinto e como sou feliz com a minha forma de ser e com tudo que consegui ”.

Legal, né...  lição de casa para começar bem o Ano Novo sem culpas e neuras, afinal, não vejo outro sentido na vida que não seja o de aprender.   Até mais !  Feliz Ano Novo!










comportamento

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Google+ Followers

Pesquisar este blog

aproveite e curta nossa página

Pinterest

Flag Counter

Flag Counter

Arquivo do blog

Resumos Biográficos