sábado, 12 de dezembro de 2015

História do Oscar



Maior premiação do cinema mundial, o Oscar tem um símbolo reconhecido por todos: sua estatueta dourada. 
Todo ano ela está lá, reluzente, à espera – desejada por atores, diretores e tantos outros que trabalham na indústria do cinema.
No entanto, mesmo que seja um dos símbolos mais evidentes do mundo das películas, a história que fundamenta a criação do famoso e bem disputado troféu é pouco conhecida. De acordo com a Academia Awards, tudo começou no final da década de 1920. 

Entenda como nasceu o Oscar

 O início. Um pouco depois da formação da Academy of Motion Picture and Sciences, no ano de 1927, um jantar no Hotel Bilmore, no Centro da cidade de Los Angeles, Estados Unidos, preparava o futuro da premiação mais conhecida do cinema. O encontro tinha como proposta o planejamento dos objetivos da associação e, entre uma das discussões daquela noite, estava a escolha da melhor maneira de premiar quem se sobressaísse nos filmes.

Criação de um símbolo

Uma vez concretizada a ideia de uma premiação anual, o grupo, então, visou à criação de um símbolo que pudesse ser utilizado para presentear os destaques futuros. Assim, Cedric Gibbons – diretor de arte da MGM à época – designou a estatueta de um cavalheiro em pé sobre um rolo de filme  a segurar uma espada.
O rolo fundamentaria os cinco ramos originais da academia: atores, diretores, produtores, técnicos e escritores.
O passo seguinte, então, foi buscar George Stanley, o escultor que produziu a peça em três dimensões. Nascia, assim, o símbolo mais célebre do cinema.

Oscar – do que é feito

De acordo com os dados da Academia, desde o início das premiações, em 1929, no Hollywood Roosevelt Hotel, mais de 2800 das almejadas peças douradas foram dadas.
As esculturas possuem o seguinte processo antes das premiações: a cada mês de janeiro, estatuetas adicionais são lançadas, passando, então, por procedimentos de molde e polimento. As atividades são realizadas desde o ano de 1982, pela Owens & Company, de Chicago.
O modo de fabricação e os materiais utilizados na estatueta se alteraram ao longo dos anos, adaptando-se a períodos e combinações diversas.  
As primeiras estatuetas do Oscar eram feitas de bronze e banhadas a ouro. Mais tarde, a peça começou a ser feita de uma liga de estanho, banhada em cobre, prata níquel e ouro de 24 quilates. 

História do Oscar

No período da segunda guerra mundial, com a escassez de metais, as peças foram feitas de gesso pintado – isso aconteceu por três anos.  Posteriormente ao período conturbado, os itens começaram a ser feitos em metais banhados a ouro, o que é realizado até os dias atuais. 

O nome Oscar

O nome oficial do símbolo é Academy Award of Merit, entretanto a estatueta é conhecida mundialmente como Oscar. 
A origem do apelido não é claro, mas, segundo a academia, há uma história popular a respeito do assunto:
À época do início da ideia, Margaret Herrick – bibliotecária e uma eventual diretora executiva da associação – viu a peça pela primeira vez e a achou semelhante a um tio  - o parente chamava-se Oscar. 

O apelido começou a ser largamente conhecido.

 Em 1934, o colunista de Hollywood Sidney Skolsky o utilizou em referencia ao prêmio de melhor atriz de Katharine Hepburn, por exemplo. Mais tarde, em 1939, devido ao sucesso da nomenclatura, o nome Oscar foi adotado oficialmente pelo órgão cinematográfico.
A estátua foi dada pela primeira vez a Emil Jannings, como melhor ator em duas produções de 1929.

A Academy of Motion Picture and Sciences possui mais de 6 mil membros relacionados à indústria do cinema. Mais conhecida por sua cerimônia relacionada ao Oscar, a associação engloba ainda campos de educação, divulgação, preservação e pesquisa.


Fonte : Repórter Cultural via Twitter

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Google+ Followers

Pesquisar este blog

aproveite e curta nossa página

Pinterest

Flag Counter

Flag Counter

Arquivo do blog

Resumos Biográficos