quinta-feira, 1 de outubro de 2015

O que é PNL





Quando você conversa consigo ou quando imagens e sons aparecem na sua mente, são apenas os seus pensamentos em ação. O cérebro é inconstante, o ser humano consegue ter milhares de pensamentos por dia. A PNL – Programação Neurolinguística – estuda os funcionamentos da mente e como o ser humano se comporta diante das suas escolhas.
Os estudos em PNL surgiram a partir de uma curiosidade do estudante de matemática e psicologia Richard Bandler, aguçado pelo poder de comunicação dos terapeutas Fritz Perls eVirgínia Satir. Richard pediu a ajuda do seu professor de linguística John Grinder e juntos, iniciaram um processo de estudos que resultou no livro: A Estrutura da Magia.
A PNL é aplicada em muitas áreas, não somente na comunicação. A expansão para saúde, criatividade, aprendizagem, vendas, gerenciamento têm auxiliado grandes corporações em todo o mundo.

Como atua o cérebro

As atividades praticadas com frequência durante o dia, são gravadas e a produção de novos neurônios é iniciada. Esses neurônios estão localizados nas zonas que você mais utiliza, sendo assim, as atividades regulares se tornam automáticas. Isso não quer dizer que você tenha sempre os mesmos pensamentos e mecanismos de atuação, porque o cérebro é moldável. Todo o aprendizado muda conforme as experiências vividas, você pode alterar a estrutura do seu cérebro (anatomia) e organizá-lo (fisiologia) conforme os pensamentos que determina.
É comum você escutar “Tem que praticar todos os dias”, “Faça todos os dias”, porque o cérebro funciona como uma agenda. Um exemplo bem comum: o relógio é ativado para despertar no mesmo horário todos os dias, se acontecer de algum dia esquecer de ativá-lo, mas mesmo assim acordar na hora certa, pode-se dizer que uma zona do seu cérebro foi ou está programada para isso.

PNL no aprendizado

Cada um possui uma maneira mais fácil para aprender, e antigamente, o ensino apenas direcionava a pensar no assunto, usar palavras. Com estudos na neurolinguística, a conclusão é de que os alunos usam os seus 5 sentidos quando estão aprendendo e mais o 6º, que são as palavras. A PNL tem seis linguagens: visual, auditiva, cinestésica, olfativa, gustativa, auditiva-digital. Quando o professor cita exemplos e pratica atividades/dinâmicas com os alunos, ele está apresentando formas de memorizar o assunto proposto, é uma das melhores maneiras de ensinar, além de despertar o interesse da turma.
A linguagem está ligada ao sistema nervoso, portanto a inclusão de mapas cognitivos (aquisição de conhecimento, raciocínio, memória…) unidos as experiências de comportamento, formam sistemas maiores que produzem desempenho competente. Dentro deste contexto, duas áreas se destacam:
Estabelecer metas: criar metas motivantes de aprendizagem.
Metacognição: observação consciente do pensamento enquanto aprende alguma atividade.
Portanto, existem inúmeras formas de ensinar e aprender aplicando a PNL, até mesmo em assuntos de maior complexidade.
Fonte Prime Cursos on Line

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Google+ Followers

Pesquisar este blog

aproveite e curta nossa página

Pinterest

Flag Counter

Flag Counter

Arquivo do blog

Resumos Biográficos